Quem sofre mais danos com a inflação e a deflação?

Quem sofre mais danos com a inflação e a deflação?

Muita gente acredita que apenas a alta de preços é algo ruim. Porém, longos períodos de queda também podem prejudicar a economia e ter consequências muito ruins para a sociedade.

Neste artigo, você vai entender o que é a inflação e a deflação, as principais diferenças entre elas e como elas afetam a economia de um país.

Saiba mais: entenda como a burocracia atrapalha o empreendedorismo   no Brasil

O que é inflação?

Conhecida (e temida) por muitos brasileiros, a inflação explica o aumento dos preços de produtos e serviços, salários e a redução do poder de compras das pessoas em determinados momentos.

Diversos bens e serviços possuem aumento contínuo de preços graças ao crescimento da inflação, entre eles o aluguel, o supermercado, o gás, etc. Justamente por afetar, de forma direta, uma série de itens essenciais, tanta gente se assusta com o termo inflação.

O que é deflação?

A deflação é o contrário da inflação e é o termo utilizado para conceituar um cenário de queda de preços. Falando assim, parece bom, não é mesmo? Mas a coisa é um pouco mais ampla e complexa.

Para especialistas, depois de um ano de queda contínua de preços é preciso ficar alerta com o cenário de deflação generalizado (e não apenas em um item específico).

O grande problema é a explicação para essa queda: a deflação pode ser decorrente de recessão na economia, aumento da oferta de produtos ou quando há menos dinheiro circulando no comércio.

Histórico de deflação e inflação no Brasil

Pouquíssimas vezes o Brasil passou por cenários deflacionários. Nosso grande problema sempre foi mesmo a inflação.

Mas para entender melhor a deflação, podemos citar a quebra da bolsa de Nova York, em 1929, um dos mais famosos casos de recessão da história mundial.

Em terras tupiniquins, o boom inflacionário vivido no final dos anos 80 e início dos anos 90 gerou instabilidade e preços que variavam significativamente ao longo do dia, com maquinhas etiquetando novos valores o tempo inteiro.

Quais as principais consequências da deflação?

Em um cenário de deflação, consumidores param de comprar e investidores param de investir na expectativa de conseguirem preços ainda mais baixos no futuro próximo. A economia vai sendo puxada para baixo e, depois de um tempo, pode afetar todos os setores.

As empresas começam a vender produtos abaixo do valor de custo e logo precisam começar a demitir ou mesmo fechar as portas, em um processo bem ruim de retração econômica.

Quem mais perde com a deflação e a inflação?

A deflação atinge mais quem está com maior saldo devedor, já que o bem fica desvalorizado, mas a conta continua igual. Os bancos também têm suas atividades de crédito fortemente afetadas.

E na inflação, como era de se esperar, os pobres são os que mais sofrem. O poder de compras diminui e é preciso rebolar para fechar as contas no final do mês.

Apenas a reforma e estabilização da economia pode mudar os rumos do país e melhorar a vida de todas as pessoas.

Siga a Profap no LinkedIn  e acompanhe as principais novidades da economia.

Sem comentários

Você pode postar o primeiro comentário

Deixe um comentário

Por favor, informe o seu nome Por favor, informe o seu endereço Por favor insira a mensagem